ACTIVIDADE DOCENTE 2010/11

- Professor Auxiliar a tempo integral da Universidade Lusíada de Lisboa - cadeiras de: Organizações Criminosas (2º. Semestre do 2º. ano) e Terrorismo (1º. Semestre do 3º. ano), ambas da Licenciatura em Políticas de Segurança.

- Professor Auxiliar (a tempo parcial) da Universidade Lusíada do Porto, onde leciona a cadeira "Criminalística e Investigação Criminal, na Licenciatura em Criminologia (1º Semestre 2º ano).

- Professor Auxiliar Convidado (a tempo parcial) do ISCS/EM- Instituto Superior de Ciências da Saúde "Egas Moniz" (Monte da Caparica), na Licenciatura de Ciências Forenses e Criminais. Regente da Cadeira de “Análise da Cena do Crime II” (1º. ano - 2º. Semestre), onde lecciona o módulo de Criminalística. Membro do Conselho Científico da respectiva Licenciatura e da Comissão de Ética do referido Instituto.

- Co-coordenador de uma das Unidades Curriculares e Professor das cadeiras de Terrorismo/Violência Religiosa (9 de Novembro de 2010) e de Criminalista/Polícia Científica (15 de Março de 2011) do 7º. Curso de Mestrado em Direito e Segurança, organizado pela Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa.

- Professor da cadeira "Tolerância e intolerância étnica, religiosa e social" do Mestrado "Segurança, Defesa e Resolução de Conflitos" e da cadeira de Laboratório de Policia Cientifica da pós-graduação em criminologia, ambas no ISCIA (Aveiro) -. Membro do respectivo Conselho Técnico-Científico.

 

 

A Alquimia, os novos alquimistas e as novas espiritualidades



Um Outro Olhar - A Face Esotérica da Cultura Portuguesa

Fernando Pessoa e os Mundo Esotéricos
3ºEdição


Os Jardins Iniciáticos da Quinta da Regaleira

2008-01-21
Belenenses não vai ser punido

José Manuel Anes, presidente da assembleia geral do Belenenses, diz que um castigo de seis pontos ao clube no caso Meyong “seria uma enormidade” e que preferia que as eleições fossem realizadas em Março.


Correio da Manhã – Tentou demover o presidente Cabral Ferreira de se demitir?

José Manuel Anes – É um homem profundamente atingido pela doença. Custou-me ver, porque é um amigo. Era uma decisão irreversível.

– Teve conhecimento do processo de transferência de Meyong?

– Não. Foi um processo que o presidente assumiu numa primeira fase e depois passou a pasta a Carlos Janela. Pode ter havido deficiência de articulação, mas esta é uma história que tem de ser reconstituída. Estou convencido de que, independentemente das falhas técnicas que possam ter havido da parte do Belenenses, há responsabilidades fora do clube, em Portugal e no estrangeiro, de instituições e de particulares. O Belenenses tem direito ao contraditório, não estamos condenados e não estamos numa ditadura.

– O Belenenses deve ser punido?

– Estou convencido de que o clube não vai ser punido. Se fosse, só seria com a Naval. Nunca seis pontos, apenas três.

– Carlos Janela vai depor pelo Belenenses na Liga sobre Meyong...

– Não é surpresa para mim. Sou amigo de Carlos Janela. Presto homenagem à atitude muito digna dele.

– Já há data para as eleições?

– Por mim, seriam já em Março, mas penso que serão em Maio. Se for em Maio, à luz dos estatutos, a direcção completa o mandato e tem automaticamente mais dois anos. Se for antes disso tem de haver novas eleições em 2009. Está nos estatutos.

– Que passos é que Cabral Ferreira vai dar esta semana?

– Entrega-me amanhã [hoje] a carta de demissão. Na quarta-feira vou ter uma reunião no Restelo com o Conselho Geral e logo a seguir vou emitir um comunicado com a decisão sobre a data das eleições. Estou num processo de consulta de opiniões.

– Como analisa a atitude da Liga e da Federação?

– Em qualquer país do Mundo, uma Federação ou Liga não podem apenas organizar um campeonato e receber as quotas. Deveria haver gabinetes de aconselhamento. Não sei o que se passou, mas adivinho que terá havido qualquer falha de aconselhamento, sem excluir responsabilidades de Espanha. O Belenenses não deve arcar com todas as responsabilidades.

– Como vê o eventual regresso de Janela por outra lista?

– Há um conflito vivo que poderá não ser muito aconselhável para que ele integre uma lista, mas isso é uma decisão dele, inerente à condição de associado do Belenenses.

– Falou com Meyong?

Não, nem o conheço pessoalmente. Contudo, estão a ser cerceados ao Meyong os direitos de trabalhador. Tenho muita pena que ele não esteja em condições de jogar.

PERFIL

José Manuel Anes tem 63 anos e é sócio do Belenenses há 52. Licenciado em Química e doutorado em Antropologia Cultural e Social é professor universitário e Criminalista. Iniciado maçon em 1988, foi Grão-mestre da Grande Loja Legal de Portugal de 2001 a 2004.
Nuno Miguel Simas